A título de conclusão da atividade 2 da 2ª fase, a colega Nathalie fez um excelente resumo que passo a transcrever:

“2ª Fase da atividade 2A: Discussão sobre quais os aspetos críticos para o estudante online.

O assunto é complexo porquanto tudo se encontra extremamente interligado. Como diz a Professora Lina Morgado, é um novelo que estamos agora a começar a “desfiar”.

No entanto, apesar da complexidade do tema, a posição/perspetiva seguida, por todos e de forma que pareceu intuitiva (mas para a qual a orientação inicial apresentada no roteiro da atividade, foi primordial), foi a de transformar os “problemas” em “desafios”.

Posto isto, e cruzando uma certa leitura quantitativa (baseada no número de participações), que cada um dos tópicos propostos teve, com o teor das diferentes intervenções, poder-se-á chegar a algumas conclusões:

  • O Fator Tempo, assim como a sua gestão, é considerado como uma das maiores preocupações do e-estudante, incluindo-se neste o estereótipo e pré-conceito associados ao elearning (flexibilidade de tempo=menos tempo a despender)

A este propósito, o esquema-síntese que a colega Laura,em http://www.flickr.com/photos/56710979@N08/8150440447/, retrata bem o conjunto de indagações e de correlações estabelecidas.

Alguns dos desafios que foram aludidos, neste caso, como sendo colocados aos e-estudantes, para a construção de uma aprendizagem construtiva e positiva são: a auto-disciplina, o estabelecimento de rotinas e/ou de prioridades, o sentido de responsabilidade e de compromisso.

  • A quantidade e a credibilidade da informação acessível, assim como a rapidez da/na sua difusão foram, sobejamente, apontadas enquanto fatores, igualmente críticos, para quem estuda online.

Os desafios, conforme foi mencionado, passarão principalmente pelo desenvolvimento de competências de pesquisa, leitura e análise de documentos, pela criação de estratégias de filtragem, pela utilização de recursos facilitadores e pelo cumprimento de regras pré-definidas

  • Outras dificuldades foram levantadas, que se poderão (na minha ótica) agrupar numa área-problema : As Interações sócio-afetivas online, onde incluiria as questões do comportamento online, da comunicação online, das dinâmicas de grupo, da integração, da expressividade, das emoções e dos afetos online.

O trabalho colaborativo, o “estar junto virtual”, a necessidade de clareza do discurso escrito, o recurso a netiquetas e a símbolos gráficos, a disposição para expor as dúvidas, o papel do e-professor na gestão das dinâmicas de grupo são, entre outros, os desafios e os objetos da nossa futura aprendizagem no MPeL6.

Finalmente, transversal e de difícil categorização, não será mentira (pois não?) se se disser que temos, como pano de fundo e maior problema-desafio: a MOTIVAÇÃOgrande sorriso,”

Advertisements