A sua opinião conta…

Advertisements

MPeL06

Este mestrado em Pedagogia do eLearning é uma oportunidade de formação profissional, que eu considero como um processo de aprendizagem ao longo da vida e que visa desenvolver competências numa área que eu considero extremamente útil.

Este blogue será utilizado para publicar conteúdos das unidades curriculares que terei de realizar durante o todo curso.

Fase 2 da atividade 2A

A título de conclusão da atividade 2 da 2ª fase, a colega Nathalie fez um excelente resumo que passo a transcrever:

“2ª Fase da atividade 2A: Discussão sobre quais os aspetos críticos para o estudante online.

O assunto é complexo porquanto tudo se encontra extremamente interligado. Como diz a Professora Lina Morgado, é um novelo que estamos agora a começar a “desfiar”.

No entanto, apesar da complexidade do tema, a posição/perspetiva seguida, por todos e de forma que pareceu intuitiva (mas para a qual a orientação inicial apresentada no roteiro da atividade, foi primordial), foi a de transformar os “problemas” em “desafios”.

Posto isto, e cruzando uma certa leitura quantitativa (baseada no número de participações), que cada um dos tópicos propostos teve, com o teor das diferentes intervenções, poder-se-á chegar a algumas conclusões:

  • O Fator Tempo, assim como a sua gestão, é considerado como uma das maiores preocupações do e-estudante, incluindo-se neste o estereótipo e pré-conceito associados ao elearning (flexibilidade de tempo=menos tempo a despender)

A este propósito, o esquema-síntese que a colega Laura,em http://www.flickr.com/photos/56710979@N08/8150440447/, retrata bem o conjunto de indagações e de correlações estabelecidas.

Alguns dos desafios que foram aludidos, neste caso, como sendo colocados aos e-estudantes, para a construção de uma aprendizagem construtiva e positiva são: a auto-disciplina, o estabelecimento de rotinas e/ou de prioridades, o sentido de responsabilidade e de compromisso.

  • A quantidade e a credibilidade da informação acessível, assim como a rapidez da/na sua difusão foram, sobejamente, apontadas enquanto fatores, igualmente críticos, para quem estuda online.

Os desafios, conforme foi mencionado, passarão principalmente pelo desenvolvimento de competências de pesquisa, leitura e análise de documentos, pela criação de estratégias de filtragem, pela utilização de recursos facilitadores e pelo cumprimento de regras pré-definidas

  • Outras dificuldades foram levantadas, que se poderão (na minha ótica) agrupar numa área-problema : As Interações sócio-afetivas online, onde incluiria as questões do comportamento online, da comunicação online, das dinâmicas de grupo, da integração, da expressividade, das emoções e dos afetos online.

O trabalho colaborativo, o “estar junto virtual”, a necessidade de clareza do discurso escrito, o recurso a netiquetas e a símbolos gráficos, a disposição para expor as dúvidas, o papel do e-professor na gestão das dinâmicas de grupo são, entre outros, os desafios e os objetos da nossa futura aprendizagem no MPeL6.

Finalmente, transversal e de difícil categorização, não será mentira (pois não?) se se disser que temos, como pano de fundo e maior problema-desafio: a MOTIVAÇÃOgrande sorriso,”

Sites propostos pelos BLUES

Uma das primeiras propostas de trabalho que tivemos de realizar foi a escolha ordenada de três sites, de forma colaborativa, através de equipas criadas pela Dra Lina Morgado. Relembrando as propostas da equipa BLUES que estiveram em cima da mesa, e que foram seleccionadas:

  • THE ROLE OF A TEACHER IN FACILITATING E-LEARNING : entrar AQUI

Depois de rever novamente este artigo, penso que em termos do trabalho pedido (Pedagogia do E-Learning), temos aqui uma definição interessante sobre este conceito. Segundo os autores, “o termo e-learning engloba muito mais o que a aprendizagem on-line, virtual, em rede ou baseada na web”.
O conceito de e-Learning é pensado para todas as atividades educativas, realizadas por indivíduos ou grupos de trabalho online ou offline, síncrona ou assíncrona, através de computadores ligados em rede ou através de outros dispositivos electrónicos.
Apresenta ainda informação contrastiva entre o estilo de aprendizagem convencional e o e-Learning, dando ênfase à alteração do papel do professor neste contexto digital.
Talvez elegesse este link em primeiro lugar.

A grande potencialidade e diversidade de a escola estar aberta a qualquer altura do dia ou da noite em qualquer parte do mundo. O novo papel do professor que abandona o ensino tradicional para um novo conceito e uma nova forma de trabalhar.

(Ricardo) 1ª opção: Considero esta como primeira uma vez que introduz-nos o conceito de e-learning que contrasta este com o método tradicional. É um artigo sintético que facilmente nos introduz na temática.


  • DA WEB 2.0 AO E-LEARNING 2.0: APRENDER NA REDE entrar AQUI

Nesta abordagem do professor José Mota, gosto da forma como é perspetivado “O e-Learning e a Aprendizagem Colaborativa”. É definido o conceito de e-Learning 2.0 (ou da web read/write) sendo referenciada a importância da aprendizagem colaborativa no ensino online.
De referir que, neste ambiente de aprendizagem colaborativa na rede, há conceitos que são fundamentais estarem sempre presentes, tais como a diversidade, autonomia, conectividade, abertura, aprendizagem formal e informal, despectivas sobre conhecimento, poder e controlo por parte do aprendente.
Talvez elegesse este link em segundo lugar.

Este artigo refere muito  a aprendizagem colaborativa e boas definições de WEB, WEB 2.0.(Ricardo)


 ALGUNS ASPECTOS PEDAGÓGICOS EM ELEARNING entrar AQUI

Neste site é perspetivado o e-Learningcomo uma base com características próprias num processo de ensino aprendizagem, passando o professor a ter uma nova função neste Personal Learning Environment (PLE). Espera-se uma atitude mais ativa por parte do aluno e de mais responsabilidade, implicando também mais autonomia e transparência na rede.
Talvez elegesse este link em terceiro lugar.
Temos descriminado todo o potencial do e-learning, nas mais variadas vertentes com grande ênfase para o ensino/aprendizagem onde o aluno é muito ativo e o professor o agente que conduz esse aluno.

(Ricardo) 2ª opção: Além do que é referido pelos colegas. Considero este link pois apresenta os intervenientes, as técnicas pedagógicas on-line e as dimensões da avaliação on-line. Aspectos a ter em conta quando nos estamos a inteirar do que será a pedagogia do E-learning.